sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Bond mania parte 2


Após o último filme de Connery, havia chegado a hora de mudar. O novo ator escolhido foi Roger Moore, com mudanças mas também com continuidades. Bond continua com suas missões fabulosas, com cenas de ação mesmo antes dos créditos, com uma música memorável logo no início, continua derrubando 11-15 mulheres por filme, tendo excelente tiradas irônicas (ou não), superando qualquer armação, trocadilhos infames... Mas também é fato que Moore trouxe um Bond mais irônico, divertido, planos mais insanos, momentos mais ridículos, o vilão Jaws, uma visita ao Brasil no carnaval com direito a bondinho no pão-de-açúcar... Certas cenas parecem mais Austin Powers do que Bond!

Os filmes de Roger Moore foram:
Live and Let Die (Com 007 viva e deixe morrer) - 1973
The Man With the Golden Gun (007 Contra o homem com a pistola de ouro) - 1974
The Spy Who Loved Me (007-O Espião que me amava) - 1977
Moonraker (007 Contra o Foguete da Morte) - 1979 - nesse ele vai ao Brasil
For Your Eyes Only (007 Somente para Seus Olhos) - 1981
Octopussy (007 contra Octopussy) - 1983
A View to Kill (007 Na mira dos Assassinos) - 1985

No mesmo ano de Octopussy, 1983, foi lançado o filme não-oficial que marcou o retorno de Sean Connery: Never Say Never Again (007 Nunca Mais outra vez.) Este filme não foi feito pelos detentores dos direitos da série, mas por um cara que era do grupo, brigou com eles e manteve os direitos de uma única história. Esta já havia sido filmada anos antes, Thunderball. Ele contratou Connery para refilmar o seu próprio filme, só que quase 20 anos depois. A história muda um pouco e não usa a trilha sonora oficial e outros elementos restritos por direitos autorais.

Depois de Moore, já cansado e velho para o papel, trouxeram um novo ator que ficou apenas dois filmes, Timothy Dalton. Seus filmes foram um retorno a um Bond mais sério e violento. Entretanto a série já não tinha mais a mesma popularidade, e passou-se um hiato de 6 anos até o retorno de Bond. Veremos no próximo post.
Os filmes de Dalton foram
- The Living Daylights (oo7 marcado para a morte) - 1987
- Licence to Hill (007 - Permissão para matar) - 1989

4 comentários:

Tânia disse...

Emilio, concordo que o Roger Moore, na pele de 007, tinha sérias tendências a Austin Power, mas vamos combinar que na minha juventude aqueles "blues eyes" arrasavam quarteirão, tanto que a gente acabava nem ligando muito para os exagerados "defeitos" especiais....rsrs
Tô adorando seu "Bond mania"!

Emilio - Entre dois mundos disse...

heheheh é verdade! o lado Austin Powers não impede de forma alguma que curtamos os filmes!!! Cada evento fabuloso!! A visita à estação espacial, o carro que funcionava embaixo d'água, correndo sobre os jacarés...Aliás, é ótimo ver o Jaws (Dentes-de-aço) sobrevivendo coisas insanas e se lembro bem ganhando de um tubarão numa briga!! Moore era mais suave, mais cavalheiro...

Isaias Lobao disse...

Olá Emílio. Estou acompanhando o seu blog. Dos filmes de James Bond, eu gosto muito da fase mais nova. Acho legal o Pierce Brosnan. Porém, acho que para a série como um todo, o mais destacado é o Sean Connery. Vou acompanhar com atenção as outras postagens. Um abração. Seu primo, Isaias.

Emilio Garofalo disse...

Thimothy Dalton teve um "azar adicional": pegou a fase em que o "politicamente correto" estava no auge, o que não lhe permitia furmar, "abusar" das bond girls, ou beber com tranquilidade...
Assim o lado debochado, "malandro", de 007, foi escondido. Dalton era uma antítese do R.Moore. Brosnan retomou um pouco disso..

(Só pra registro)