terça-feira, 24 de novembro de 2009

Bico


Esta noite perdemos um de nossos bichinhos. Boby (conhecido como Bico, Bobico e muitos outros apelidos) descansou. Um poodle já de 17 (!!!!) anos, estava fraquinho e finalmente relaxou. Esta idade em termos humanos deve equivaler a uns 148. A proximidade que temos com nossos animais é um reflexo da forma como fomos criados, resquícios de um tempo num jardim onde vivíamos em harmonia. Boby há tempos já vinha sentindo as dores que a criação sente, rendida em sofrimento por causa do pecado da humanidade desde Adão. Boby junto com o restante da natureza em algum nível anelava pela redenção.
Boby foi o primeiro de muitos cachorros que minha esposa tem. Boby foi quem passou pela fase de aprendizado dela. Boby é quem foi morar conosco quando casamos, aproveitando diversos privilégios. Quando começamos a namorar ele era o único cachorro que ela tinha, hoje já são bem mais! Boby tinha suas manias, assim como eu adorava tomar água só por mania, mesmo sem estar com sede.
Boby mesmo velho e enfraquecido não resistia ao desafio de perseguir uma bola. Embora fosse um poodle francês, acho que era mesmo poodle brasileiro.

3 comentários:

Anelise disse...

Ficou lindo amor!!! Obrigada por seu carinho sempre presente. te amo!!
Ise

gusk1 disse...

Essa eterna alegria e a incansável brincadeira oom a bolinha acredito que foram a grande característica do bobico!!! E fora também seu espírito guerrreiro de não se entregar nunca, lutou pela vida realmente até o fim. Beijo a to da família.Gustavo

Ricardo Moura Lopes Coelho disse...

Ép... depois da Soneca não consegui ter outro cachorro. Sei que perderei meus entes queridos e, por isso, nunca mais quero ter de sofrer de novo pela perda e a saudade de bicho de estimação.

Meus sentimentos